sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Capítulo 61


Bem eu agradeço bastante como sempre a quem comenta, nos pequenos quadrados ao por escrito como é o caso de Lais , Stephanie_95_7 e Edyh_2011. Para quem lê e não consegue comentar eu também agradeço muito obrigada a todos.
****
O silêncio perdurou pelo quarto escuro do hospital, Zac parecia ver algo no chão do quarto, pois olhava para lá, á longos minutos. Vanessa estava se a sentir sangada por não receber respostas as palavras que lhe tinha dito.
Vanessa: Zac? – Disse pedido uma resposta, finalmente ele levantou a cara.
Zac: Só queres o meu amor? – Aproximou se dela, ficando bem perto.
Vanessa: Sim. – Sussurrou sentido o perfume dele.
Zac: Então é isso que eu te vou dar. – Passou o seu braço em volta da cintura dela, e aproximou a si, beijando a de leve, as mãos dela não ficaram quietas voaram até á cara dele, a cara que ela gostava de sentir, e não só o corpo dele era grande tentação, para ela que cada vez beijava parecia que o coração iria fugir pela boca. – Amo te. – Afastou se um pouco dos lábios dela concentrado se nos olhos castanhos.
Vanessa: Eu também te amo… mas se voltares a fazer uma destas…- Ele a calou beijando mais uma vez.
Zac: Não voltarei. – Sorrio abraçando a nos seus braços, e sustentado um pouco o seu corpo no dela já que estava cansado.
Vanessa: Promete….- Afastou um pouco. – Promete que as coisas fúteis nos farão talvez discutir, mas não separar.
Zac: Eu prometo, prometo tudo o que tu quiseres…- Disse encostando se á parede sentido as pernas fracas.
Vanessa: É melhor deitares-te. – Pegou nele levando até a cama, ele apenas se sentou não soltando a mão dela.
Zac: Vais ficar aqui comigo? – Fez beicinho e ela rio, sentado se ao lado dele.
Vanessa: Achas que nesta cama á espaço para nos, os dois?
Zac: Sim claro. – Puxou as matas para baixo deitando se, ela fez o que ele pediu, deitando se perto dele, tentado não o magoar. – Feliz Natal.
Vanessa: Feliz Natal. – Sorrio aconchegando-se perto dele, assim passaram o resto da noite.
Dois dias se passaram e finalmente Zac saio daquele hospital, os próximos dois dias foram passados sem Vanessa que tinha que mais uma vez viajar, mas desta vez ele nem prostestou, era trabalho e tentou compreender, lembrousse que não queria discutir, ele não tinha nada contras as idas para fora dela, apenas sentia saudades e a queria ter por perto.
Greg: Fico feliz por teres voltado. – Apertou a mão ao Zac quando entrou com as malas de volta a casa.
Zac: Eu também acredite. – Disse deixando cair as malas quando Stella caio no seu colo.
Stella: Já tinha saudades. – Apertou com força.
Zac: Eu também. – Beijou lhe uma bochecha. – Vou arrumar as coisas no quarto. – Disse subindo as escadas com as malas pesadas, com o seu irmão, cada um se separou no corredor, indo cada um para seu quarto, mas Zac não gostou da surpresa que estava em cima da cama. Uma fotografia que lhe trousse uma enorme fúria.

Ele pegou na fotografia e lembrou se a viajem de Vanessa ao Brasil, o sítio de onde ela tinha trazido Austin. A raiva consumi-o o, e ele rasgou o papel em bocadinhos, o pior foi quando olhou pela janela e viu que Vanessa tinha chegado. O Problema era com a pessoa com que ela estava a falar, e apenas a falar, mas Zac não viu isso. Saio do quarto e correu até fora esmorrado Austin.
Vanessa: Zac…
Zac: És o idiota. – Foi até ele levantado; levantou a não para lhe voltar a bater mas Vanessa não deixou, pegou lhe não mão e o fez parar.
Vanessa: Que e passa contigo? – Perguntou, fazendo Zac deixar cair Austin.
Zac: Ainda bem que não desfiz as malas. – Entrou em casa furioso, deixando Vanessa sem perceber.
Vanessa: Estás bem? – Aproximou se de Austin, que se levantava sagrado da boca.
Austin: Sim. – Disse meio zonzo limpado o lábio que escorria sangue de fio pelo valente soco certeiro.
Vanessa: Vai á cozinha e mete, gelo, eu vou ver do meu noivo. – Correu para casa, subindo directo ao quarto. – O que se passa?
Zac: Tu, tivste alguma coisa com ele? – Parou na frente dela esperando que a resposta fosse, não, para além das imagens que vira, era isso que queria ouvir. Só de imaginar que ele lhe podia ter tocado, tinha apenas mais vontade de bater naquele loiro de meia tigela.
Vanessa: Eu queria dizer que não, mas estaria a mentir. – Zac abanou a cabeça que não condenado o seu acto.
Zac: Porque, não me contaste?
Vanessa: Porque não queria que lhe batesses, como fizeste agora…- Ela aproximou se segurando os braços dele. – Naquela altura tivemos a nossa separação, e eu tive uma recaída que não queria ter mas tive, estava carente e ele estava lá…
Zac: Não preciso dos pormenores. – Afastou se dela sentando se na cama.
Vanessa: Zac, eu sei que agi errado ao não te contar mas não tinha como, tive vergonha, e para além do mais foram apenas alguns beijos.
Zac: Porque é que ele está aqui; para fazer de teu amante?
Vanessa: Não… - Gritou pela pergunta. -Claro que não, eu amo te, amo te a ti. – Ajoelho se perante ele, que estava sentado ainda na cama.
Zac: Então porque está ele aqui? – Voltou a intorroga-la querendo aquela resposta senão iria voltar para sua casa, iriam voltar ao mesmo.
Vanessa: Porque não tinha emprego, mas eu já resolvi a questão, ele vai trabalhar para outra casa. – Levantou se puxando o para si.
Zac: A serio?
Vanessa: Sim, não vamos discutir, ainda á pouco tempo fizemos as pazes. – Puxou a cara dele para um leve beijo
Zac: Ok, tudo bem. – Disse mentido um pouco, naquela altura só pensava em ir para o ginásio, senão iria cair em cima dele de novo.
Vanessa: Mesmo? – Olhou para os olhos dele, e para a boca ambos demostravam o quanto ele estava zangado.
Zac: Mesmo. – Mostrou o sorriso mais amarelo que se viu e soltoua indo até a mala, para a desfazer.
Vanessa: Ainda bem…  - Beijou lhe um bochecha seguindo de um carinho feito com a mão dela- Estou cansada vou tomar um banho e já venho. – Saio até ao banheiro despindo se ali, Zac parou um pouco só para olhar, não avia problemas em apreciar era a sua mulher.
Zac: Ok. – Disse apenas quando ela entrou no banheiro e ele saio da imagem, só corpo da mulher, levando a mão ao bolço tirou uma caixinha que continha as alianças, para marcar o noivado, mas depois do que ele vira, tinha apenas medo, aquele que tinha antes. Mas desta vez ele sorrio, em vez de ficar nervoso, não se deixaria, dominar novamente por um medo, ele amava confiava nela, e isso era o importante.


****
Bem espero que tenham gostado do capítulo, e depois da contagem decrescente espero que tenha um feliz ano novo, com tudo o que é preciso.

6 comentários:

  1. Adorei o capitulo.
    Me parece que o Zac se revelou, logo um murro, foi a parte em que mas gostei.
    Mas ainda bem que eles continuam bem.
    Agora deixando isso de lado.
    Queria lhe pedir desculpas, realmente venho a estar avoada com os comentários, e deixei passar sem querer, ou nao vi pois estou a ver raramente meus comentários, bom agora que já tens explicações....
    Posta logoo??


    Xoxo

    ResponderEliminar
  2. Adorei o capitulo...
    Espero que o pequeno caso com o Asutin nao afete ainda mais a relaçao deles
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. AMEI o cap
    Posta logo
    E Feliz Ano Novo
    Kiss

    ResponderEliminar
  4. Olá Já ficou sabendo do Espaço Fic's do zanessabrasil.net ??? Vc pode ser entrevistada e seu blog pode ter uma mega divulgação... Participa !!! Entra aqui http://www.zanessabrasil.net/2012/01/fixo-espaco-fics.html !!!

    (Se aceitar, estou interessada em entrevistar a autora dessa fic... ta muito legal )


    Mary - Web Miss do Zanessa Brasil

    ResponderEliminar
  5. Cada vez me surpreendendo mais. Espero que Zac a peça em casamento novamente e tudo fique bem e ele não bigue com ela por coisas futeis
    Cap muito bom
    Posta logo
    xX ;*

    ResponderEliminar