sábado, 20 de agosto de 2011

Capítulo 21

Brigada por todos os comentário, e desculpe me se o capítulo não estiver muito bom, mas sabem como é acampar e ficar cheia de mordi-delas de mosquitos, pois é esses animais pequenos fazem grande borbulhas que dão muita comichão como estou agora, por isso tive certa dificuldade em ter imaginação para o cap, mas mesmo assim espero que esteja bom. Também gostaria de divulgar um novo blog http://zaclovevanessalove.blogspot.com/


A cabeça dela esteve durante duas horas encostadas no peito forte dele. Nada dissera, apenas estava calados, olhando a janela em frente, e vendo o quanto tarde estava, já faltava pouco, para o sol voltar a nascer.
Vanessa: Desculpe, eu o obrigar a ficar tanto tempo… – Ela se sentam no sofá e ele a olha, olha para aqueles olhos que ainda não tinha parado de chorar. – Se quiser pode ir para casa.
Zac: A senhora não me obrigou a nada, eu fiquei porque que quis. – Disse com o pequeno sorriso que a fez sorrir também. – Mas se eu me for embora, com quem ficara?
Vanessa: Sozinha, meu marido não está cá, e diz que não virá tão cedo, Manuela também não, dei-lhe uma folga para ir ver o seu filho.
Zac: Importa se que eu fique consigo então, sabe não me agrada a situação de ficar sozinha.
Vanessa: A mim essa situação também não me agrada. – Baixa a cara e suspira, depois o voltou a olhar. – Desculpe, pareço uma criança com medo do papão…- Zac colocou o seu dedo sobre a boca dela para a silenciar.
Zac: Não brinque com o papão, nem goze com ele…- Ele falava tão sério que Vanessa se pode assustar. – Durante uma vida inteira, o papão existe…- Ele retirou finalmente o dedo sobre os lábios dela. – Só que com o passar de tempo, as formas dele vão mudado, por tanto não me peça desculpas, porque ter medo do papão, não faz mal. – Disse sorrindo, e como o sorriso dele a contagiava.
Vanessa: É fascinante essa sua maneira de ver o papão…vamos fazer assim, vou lhe emprestar um pijama do meu marido e depois dorme comigo. – Zac a olhou um pouco confuso.
Zac: Consigo? – O que ela queria dizer com aquilo.
Vanessa: Depois de tudo o que já passamos e dissemos um ao outro, eu não tenho como não o considerar um amigo. – Ela lhe pega as mãos. – É a primeira vez que fico amiga de um empregado, não me leve a mal, só que nunca falei com nenhum como falei consigo, por tanto sim, disse que iria dormir comigo, porque preciso de um abraço de uma pessoa que me mantenha segura durante a noite, e que afaste os meus papões…- Ele a continuava a olhar sem nada dizer. – Mas eu não o vou obrigar…
Zac: Eu fico…- Interrompeu. – Eu fico, consigo.
Eles subiram as escadas que iam até ao quarto de Vanessa.
Vanessa: Tome. – Ela lhe entregava umas calças e uma camisa, para ele dormir. – O Alex tem imensa roupa, e essa ainda nem sequer foi usada, por isso pode vestir á vontade, tem ali o banheiro.
Zac: Brigado. – Ele entrou no banheiro para se trocar e quando voltou a entrar no quarto, não avistava Vanessa, a cama estava com os lençóis para baixo para eles se deitarem, só bastava saber onde ela se encontrava. – Senhora Vanessa onde está?
Vanessa: Eu prefiro que me tratem por menina a senhora…- Disse entrado no quarto com uma bandeja de comida. – Estáva a ficar mal dispota, deduzi que também estivesse com fome, por tanto fiz algo para nós comermos. – Ela colocou a badeja, na cama e se sentou. – Ande sente se e como, esteja descansado, que apesar de ser rica, sei cozinhar, apesar de ter muitos empregados para o fazerem, sempre aprendi as escondidas de meu pai, que não gostava que eu me encontra-se perto dos empregado, mas sente se. – Ele finalmente se sentou em frente dela. – Tome, levou lhe um pouco de tarte á boca. – Então que tal?
Zac: Muito boa, mesmo, foi a menina que a fez?
Vanessa: Sim, ontem quando soube da noticia, da morte da minha mãe…quando fico nervosa tenho ainda mais vontade de me mexer e entreter, por isso fiz a tarte. – Zac não respondeu, não sabia o que dizer. Depois de ouvir e ver o pai a expulsar de casa, terminaram de comer e afastaram a bandeja, Zac se sentam na cama e a puxa até ele, puxou de tal maneira que ela não teve que se negar, mas apenas a puxou para abraçar, e assim ficaram, deitados e abraçados. – De onde conhece a minha família? – Perguntou depois de passar um bom tempo.
Zac: O meu irmão Dylan, namora com a sua irmã a Stella. – “Alex: E parecia estar, estava com um rapaz loiro de olhos claros.” , Vanessa se lembrara de marido lhe dizer, será que o rapaz com que ele a virá era Dylan.
Vanessa: O seu irmão é de cabelos claros e alto?
Zac: Sim, até somos um pouco parecidos
Vanessa: E ela sabia da doença dele?
Zac: Sim, mas porque essas perguntas todas?
Vanessa: Nada demais, só nunca pensei que a minha irmã andasse com um rapaz como o Dylan. – Vanessa levou o tempo a perceber o que tinha dito. – Desculpe, não era isso que queria dizer. – Ela se desencosta para o olhar. – Só que a minha mãe, sempre controlou com que eu saia, e neste caso parece que até a minha mãe o conhecia.
Zac: A sua irmã e o meu irmão se conhecera numa linha de apoio… sua irmã, é bipolar. – Ele disse calmo.
Vanessa: Ela é doente?
Zac: Nós não costumamos falar em doenças mas sim é problemas, e a sua irmã, tem um… não sabia?
Vanessa: Não…não sabia de nada. – De repente voltou lhe a vontade de chorar, e encostou rápido o seu rosto do ombro de Zac, ela nunca tinha mostrado tal sensibilidade para ninguém, nem para Alex, ela tinha o costume de ser fria, não sensível, como estava agora.
Zac: Tenha calma, vai ficar tudo bem. – Ele apertou o mais que pode em seus braços.

5 comentários:

  1. ta cada dia melhor os cap!
    é muito bom que Vanessa esteja
    se soltando mais com Zac!
    bjo

    ResponderEliminar
  2. Eles estão a ficar cada vez mais próximos =)
    Muito bom o capítulo..
    Beijos

    ResponderEliminar
  3. own* que fofooooo
    amei! eles dois estão cada
    vez mais proximos adorei posta logo bjss

    ResponderEliminar
  4. Ownnn
    Q lindoo
    Cute

    Posta logo Please
    Kiss

    ResponderEliminar