terça-feira, 17 de abril de 2012

Capítulo 7


Antes de postar queria divulgar duas histórias uma delas é minha e da minha mana Laura, que também escreve De Entre Três corações mas a historia que escrevemos se chama Nothig Compares To You http://zanessancy.blogspot.pt/e está agora no início, a outra historia é da Lua http://zacefronvanessahudgensstorys.blogspot.pt/ We Found Love, querem saber do que se trata? Deem lá um salto e descubram.
************««««««««««««»»»»»»»»»»»»»»»»***********

Paul para infelicidade de Vanessa chegou rápido á casa de seus pais, ele parecia ainda estar tão nervoso com a situação, que Vanessa quase tinha certezas que ele ia espancar o irmão. Irmão esse que estava inconstado a uma das paredes da casa vendo os chegar, e ainda foi sínico o suficiente, para sorrir, com cara de gozo para eles. Paul saio do carro ao mesmo tempo que o coração de Vanessa disparou, mas ela logo saio e correu atrás dele, sussurrando lhe calma. Mas Zac não ajudava, colocou se bem na porta tampando lhes a passagem. Vanessa pode ver Paul fechas as mãos em punho, mas acabou por não arrumar nenhum tipo de cenário, apenas deu um forte encontrão em Zac quando passou.
Zac: Vejo que ele já sabe. – Falou, parando a Vanessa e encostou a porta, para ninguém os ouvir.
Vanessa: Era um pouco que complicado ele não perceber de nada; não achas? – Apontou para seu rosto, bem marcada.
Zac: Pois. – Olhou para o negro que lhe tinha deixando e cruzou os braços desviando o olhar.
Vanessa: Pois? – Perguntou não resistindo lhe bateu com alguma força no braço.
Zac: Que queres que eu diga? – Levantou uma das suas sobrancelhas, esfregando o braço, a mão dela ainda era pesada.
Vanessa: Olha bem para a minha cara; vê bem o que tu fizeste. – Chegou mais perto, ele não teve como não olhar, e ele mentalmente concordou que tinha sido um verdadeiro animal, na sua atitude, mas não se controlou, e quando foi a ver já a sua mão tinha passado com força no pequeno rosto dela.
Zac: Olha, eu não fiz nada. – Riu na cara dela, Vanessa apenas abriu a boca com aquele descaramento dele. – Culpa tua.
Vanessa: Desculpa? – Gritou com grande irritação, estava com vontade de o espancar, por ser tão grosso.
Zac: Estás desculpada. – Sorriu, mais uma vez batendo de leve nas costas dele, Vanessa mordeu o lábio, para se conter.
Vanessa: Idiota. – Disse bem lentamente, para ele, que por vezes parecia não saber raciocinar direito, por isso disse lentamente.
Paul: Está tudo bem? – Sussurrou, olhando para Vanessa que entrara mas parecia se esconder atrás dele enquanto Starla descia as escadas.
Vanessa: Sim, tudo. – Falou no mesmo tom, mantendo-se que quase escondida atrás das costas do noivo.
David: Bem, está na hora. – Falou olhando o relógio de ouro que mantinha por gerações ao pulso. - Tudo certo?
Starla: Mais que certo. – Olhou a fileira de malas, e mirou de volta a lista que tinha preparado, para ver se não deixava nada para trás.
David: Vamos então. – Disse elevando o corpo que estava na poltrona com a bengala que passara a usar de pois de sair do hospital. – Paul, tu vais-me levar a mim e á tua mãe em teu carro, e Zac levara a tua noiva no dele, para não irmos demasiado apertados, a viajem ainda é longa.
Paul: Eu…o quê? – Falou espantado com o seu pai, aquela ideia não lhe agradava nada de nada.
David: Com isto de irmos para a casa de campo, mandei os empregados numas pequenas férias e o motorista também. – Se explicou.
Paul: E o que é que eu tenho a ver com isso? – Perguntou sentindo que Zac se ria, não era para mais ele adorava ver o irmão assim.
David: O que tu tens a ver com isso? – Aproximou se de Paul que se endireitou assustado. - Eu tive um infarto eu não posso conduzir. – Falou alto, Paul se manteve direito que nem tropa. – A tua mãe não sabe conduzir, e sabes que com Zac sempre fico mal disposto. – Terminou olhando de lado para Zac que se controlava para não gargalhar. – O que te custa, nos dar uma boleia?
Zac: Sim, o que custa maninho? – Zoou do outro lado da casa, baixando a cabeça para não o verem rir.
Paul: Estás calado. – Apontou o dedo para ele gritando.
Starla: Nem pense que vão já começar. – Colocou a mão no peito do filho mais velho não o deixando aproximar do mais novo que continuava a rir. – Parecem duas crianças; está decidido, o teu irmão de, certo não irá fazer mal á Vanessa.
Paul: Mãe ele…
Vanessa: Vai tratar bem de mim. – Saio detrás do noivo, vendo que ambos os sogros olhavam para o rosto dela.
Starla: Querida. – Aproximou se colocando a sua mão no queixo de Vanessa o levantou e a olhou bem. – O que é que se passou, porque é que é que o teu rosto está negro? – Olhou bem Paul que revirou os olhos não acreditado que a mãe pensava que tinha sido ele.
Vanessa: Estava andar, escorreguei, cai…e ficou assim. – Disse sorrindo de lado “que bela desculpa Vanessa” disse para si.
Starla: Paul? – Chamou e ele olhou, para Vanessa, com a desculpa que ela tinha dado só tinha, piorados as coisas.
Paul: Não fui eu, não olhes assim para mim. – Pediu, verdade ele já tinha agredido uma Ex namorada, mas apenas uma vez.
Vanessa: Não foi ele, Paul nunca faria mal a uma mosca. – Sua mãe voltou a olhar de lado para o filho, até Zac estava curioso com a situação, Paul tinha tido uma namorada mas no oitavo ano, e agrediu, apesar de ser novo, teve que ir a tribunal, e até hoje se falava muito nesse caso.
Zac: É o Paul é um verdadeiro anjinho. – Revirou os olhos e silêncio se apoderou, na sala, o que Vanessa não percebeu, foi o porquê.
David: É melhor irmos, andando. – Falou alto quebrando o silencio dirigiu-se até á porta e dai foi para o carro. Com malas arrumadas, e carros prontos tanto Zac e Paul arrancaram, Paul odiou ter que se separar ali da namorada, mas preferiu não reclamar, já Zac só pelo irmão estar frustrado ele estava adorar aquilo.
Vanessa: Para de olhar para mim, nem sequer precisas dizer nada, metes me nojo. – Falou vendo que ele a mirava, em demasia.
Zac: Já me odeias? - Olhou em frente, tentado dar mais atenção na estrada que seguia.
Vanessa: Eu já nem suporto sequer a tua presença. – Virou a cara para a janela, perguntando-se, se estava a ser bruta.
Zac: O, mesmo eu te digo. – Respondeu, mais sínico que ela, e Vanessa teve a certeza, que não tinha sido nada, grossa ele era pior.
Vanessa: Eu odeio te, tanto. – Falou por fim, e ele já não respondeu, apenas ligou o rádio, para tornar aquilo menos desconfortável possível, o que estava complicado. Mas passado, horas lá eles chegaram, ao seu destino, Vanessa de imediato saltou do carro e foi beijar Paul.
Zac: Saudades. – Disse num sussurro para si, e entrou em casa, vendo Paul entrar de braços abertos.
Paul: Finalmente. – Quase gritou respirando fundo.
Starla: De fato, uma grande viajem. – Sentou se ao lado do marido que já fechava os olhos. – Estas bem?
David: Sim, nada que uma boa sesta não resolva. – Falou sentido se muito velho.
Ashley/Matt: Olá. – Falou em conjunto descendo as escadas abraçados, Vanessa foi logo abraçar Ashley, já que ela ia ficar ali no meio do massacre ao menos que tivesse alguém para apoiar, por isso Ashley naquele momento era a sua boia no meio do oceano.
Zac: O que é que ele faz aqui? – Apontou para Matt que sorria da cara de espanto dele.
Paul: Eles vão passar uns quatros dias conosco, olha que maravilha. – Bateu nas mãos do amigo.
Zac: O quê…mas porquê? – Olhou para seus pais cruzando os braços que nem menino mimado.
David: Porque são amigos do teu irmão e da Vanessa, e vieram passar um bom tempo conosco. – Se encostou mais no sofá preparando se quase para dormir, ali uma duas horas, mas para isso precisava que todo o mundo se calasse o que estava difícil.
Zac: Estou a ver que aqui o único que não vai passar um bom tempo sou eu. – Reclamou, Ashley olhou para Vanessa mas se deixou estar calada, e bem ali perto da amiga, depois de ver aquele rapaz bater em Vanessa ela não sabia, se devia se aproximar sequer.
Starla: Zac, para de dramas meu filho, é um momento em família e amigos, vai ser bom. – Disse pedido para ele se calar.
Zac: Eu vou para o meu quarto. – Disse pegando em suas malas.
David: Ah, é verdade, ia me esquecendo desse pormenor, Zac o teu irmão vai ficar no mesmo que quarto que tu, Matt ira ficar no quarto sozinho, e espero que a Vanessa não se importe de partilhar o quarto com a sua amiga Ashley. – Sorriu para a Vanessa que concordou com a cabeça.
Paul: Pai, parece que tenho oito anos, eu já não sou virgem. – Falou deixando Vanessa meio corada.
David: Eu sei disso meu filho, e por isso mesmo fiz está regra, porque as paredes são demasiado fininhas, sabe tudo se ouve, e eu não quero ouvir nada o que não me apetece. – Se Vanessa antes tinha ficado meio corada agora estava que nem um pimentão.
Starla: E isto é uma casa de respeito. – Disse batendo de leve no ombro do marido.
David: Pois, e por isso também claro. – Finalizou beijando os lábios das mulheres.
Paul: Espero que não se ouça assim tão bem. – Disse para sim olhando o beijo de seus pais mas logo tentou esquecer aquilo.
Zac: Isto vai ser giro. – Pegou de volta nas malas e subiu as escadas.
Paul: Um máximo, mesmo estou com um entusiasmo.- Pegou nas suas coisas e segui depois do irmão.
Ashley e Vanessa logo seguiram também para o quarto onde ambas ficariam, chegaram lá e caíram na cama deixando as malas pelo chão.
Ashley: Tu nunca exageras-te quando, disseste que estes irmão se dão mal, pois não?! - Olhou para Vanessa que fechava seus olhos.
Vanessa: Vais poder ver isso, no tempo que aqui estiveres, acredita. – Bocejou pelo cansaço, da viajem.
Ashley: Sabes que me estás assustar com isso? – Vanessa riu sentando se na frente da Ashley, que também e tinha sentado.
Vanessa: E é para assustar. – Brincou meio a sério. – Para mais depois que Zac me fez, Paul está com vontade de matar Zac.
Ashley: Sabes o que era mesmo giro? – Perguntou e Vanessa teve medo da resposta que ai viria.
Vanessa: O que é que, seria giro? – Perguntou pegando na almofada que ali estava perto.
Ashley: Dois irmãos por uma rapariga. – Olhou o teto sonhando.
Vanessa: Desculpa? – Atirou lhe a almofada a cima, como já tinha planeado quando apegou.
Ashley: Sim…- Recuperou depois de ter tombado com a pancada dela. – Ele é giro e olha para ti de maneira interessante.
Vanessa: Ashley nem brinques. – Falou, seria levantando de novo almofada, Ashley levantou as mãos como se ela aponta-se uma arma.
Ashley: Era tão mau assim? – Fechou os olhos com medo de levar novamente mas Vanessa apenas se pós de pé.
Vanessa: Eu amo o Paul. – Pegou na sua mala e começou, arrumar tudo. – Eu nunca que na minha vida que iria trocar o Paul um homem serio, meigo fofo per Zac Efron, um miúdo…- Expressou bem o miúdo. – Parvo que eu odeio. – Finalizou, não querendo tocar mais naquele assunto.
Ashley: Ok, ok. – Disse entendendo o recado.


-------------------------------------------------------------------




Beem... Olá para todas, aqui é a Laura, mana da Margarida, queria dizer que se ficou um erro , me desculpe, é que eu entrei antes dela postar para corrigir os erros e porque de tanto que minha irmã é preguiçosa, ela não leu, mandou-me ler. Eu li porque eu quis, affs se não sou eu , vai saber, ela ia postar CHEIO de erros! U_U É isso... Desde já, como sempre, capítulo ótimo mana. Amo te muito, meu mundo! ♥ Também te amo muito mana, mas não se precisava expressar tanto sobre a minha preguiça e os meus erros ortográficos : p mas pura realidade, ela leu tirou os erros e por isso estou a postar aqui e sei já vou bem atrasada, desculpe. Antes de mais queria agradecer a todos que comentaram nos pequenos quadrados ou por escrito Margarida, Edyh_2012 Evelly, Stephanie_95_7, e a Lua, também agradeço a quem leu.



4 comentários:

  1. Tipo assim tipo assim
    D++++
    Amei
    Principalmente as cenas de brigas de Zanessa
    Perfeito
    Posta logo flor
    Kiss

    ResponderEliminar
  2. Os opostos atraem-se :)
    E vai ser o caso deles os dois
    Adorei o capitulo
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. OH my god! o Zac cada dia pior ein?
    mais eu amei amei amei
    quero só ver eles dois no mesmo quarto kkk
    briga briga e mais briga kkk
    posta logo bjs

    ResponderEliminar